15 de jun de 2017

O Tempo (II)

Há quase dez anos atrás ou se preferir no dia 20 de novembro de 2007, postava aqui no Críticas uma breve reflexão sobre "O Tempo" (releia aqui).

E como ele passa rápido! É uma afirmação que insisto em contradizer.

E de dez anos para cá o que falar sobre ele?

Incrível como a sensação é de que ele encurtou, talvez não seja mais um amigo, pois percebe-se que ele anda sempre a sua frente e pouco ao seu lado e amigo não faz estas coisas.

É certo também que de dez anos para cá, gastamos nosso precioso tempo em coisas menos nobres, ou você acredita que ver 'memes', 'fake news' ou 'inútil news', espalhar ódio politico entre coxinhas e mortadelas e pior, replicar tudo isso para outras pessoas, é de fato importante ou engrandecedor?

Para aliviar compartilho aqui neste horizonte, ora perto ora longe, mas, sempre à vista, Mario Quintana (mais sobre ele aqui) com uma deliciosa nota de motivação.

-

O Tempo por Mario Quintana

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.




João M. A. da Silva
Data: 15/06/2016
Hora: 23h24
Momento: Tempo, tempo, tempo...
criticasconstrutivas.blogspot.com