24 de jun de 2014

Revista Veja: Isto não é crime?

Revista Veja - Maio de 2011

 "Por critérios matemáticos, os estádios da Copa não ficarão prontos a tempo"
"No ritmo atual o Maracanã seria reaberto com 24 anos de atraso"
"Copa só em 2038"

Revista Veja - Junho de 2014
 
"Só alegria até agora"


O tal clima pessimista e de mau humor, o chamado "não vai ter copa" ou até mesmo o complexo de vira-lata (aqui) tem responsável e responsáveis. Acima, uma degustação das armas dos criadores do pânico aos brasileiros e aos turistas estrangeiros. Triste né, isto não é crime?


João M. A. da Silva
Data: 24/06/2014
Hora: 22h31
Momento: Copa em casa
criticasconstrutivas.blogspot.com

10 de jun de 2014

Cptec integra projeto para emitir alerta de risco de dengue as 12 cidades-sede da Copa

Áreas de risco podem ser demarcadas com até três meses de antecedência graças à aplicação de modelos matemáticos. 

Técnico do Cptec/Inpe em computador da instituição. Foto: Arquivo/OVALE

Por Wagner Matheus, Especial para O Vale (aqui).

Um trabalho científico produzido por várias instituições nacionais e do exterior — dentre elas o Cptec (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos) do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) de Cachoeira Paulista — servirá de alerta para torcedores brasileiros e estrangeiros durante a Copa do Mundo. O sistema alerta para riscos de casos de dengue em 553 microrregiões brasileiras, incluindo as 12 cidades que receberão os jogos da Copa. Natal, Fortaleza e Recife apresentam maior risco de epidemia.

Antecipação. Segundo o meteorologista e pesquisador na área de clima do Cptec/Inpe, Caio Coelho, a importância do estudo é incluir uma nova variável — o clima — nas previsões sobre áreas afetadas pela dengue, com a vantagem adicional de antecipar em três meses a demarcação das áreas de risco.
“Acrescentamos os estudos sobre chuvas e temperatura a diversas outras informações sobre a doença.”
O trabalho de gerar previsões para as 12 cidades onde serão realizados os jogos da Copa começou em fevereiro com a coleta de dados climáticos, que foram juntados aos relatórios de contagem de casos de dengue em março. A conclusão do trabalho ocorreu este mês.
A contribuição do Cptec/Inpe no projeto foi por meio das previsões climáticas sazonais de precipitação e temperatura para o período de março a maio.
As previsões fazem parte do projeto Eurobrisa, liderado pela instituição. “O trabalho classificou as cidades-sede com maior risco de uma epidemia de dengue durante a competição”, disse Coelho.

Processo. O sistema utiliza dados climáticos, já que chuvas e altas temperaturas produzem um efeito importante na transmissão da dengue em áreas propensas a epidemia, favorecendo a proliferação do mosquito transmissor e a disseminação do vírus da doença.
As previsões e alertas são produzidos a partir da combinação de dados climáticos associados a variáveis sociais e ambientais, processados em modelos matemáticos.

Publicação. Considerado inédito no país, o novo procedimento poderá ajudar outras áreas de incidência de dengue com previsões feitas com maior antecedência que os métodos atuais.
O ineditismo valeu a publicação de artigo sobre o trabalho na revista científica “The Lancet Infectious Diseases”, tendo o pesquisador Caio Coelho com um dos coautores.
O sistema de alerta foi desenvolvido por uma equipe internacional e multidisciplinar. Além do Cptec/Inpe, participaram as seguintes instituições: Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Ministério da Saúde, Universidade de Brasília, Instituto Catalão de Ciências Climáticas (Espanha), UK Met Office e Universidade de Exeter, (ambos da Inglaterra).
O pesquisador brasileiro explicou que a origem do trabalho ocorreu há alguns anos graças à iniciativa da doutora em meteorologia Rachel Lowe, inglesa que adotou o tema para o seu doutorado e, agora, liderou o estudo.
Uma fase das pesquisas da doutora Lowe foi realizada na sede do Cptec/Inpe.

---

Opinião

O artigo completo pode ser acessado aqui. Uma pesquisa com foco no bem da população é digna de aplausos, com resultados práticos que esta sendo utilizado para a monitoria e ação de contorno deste mal que ainda nos afeta chamada dengue, uma doença oriunda de países em desenvolvimento com infraestruturas ainda precárias.



João M. A. da Silva
Data: 10/06/2014
Hora: 20h30
Momento: Isso sim que é gol do Brasil
criticasconstrutivas.blogspot.com