12 de mai de 2014

As águas dos ventos uivantes

Não lembro quantas eram
Mas lembro de como eram.

Salgada ela estava
Tão perto de mim ficava.

Puxava-me quando eu não queria
E fora dela sem nenhuma correria.

Um céu de brigadeiro
Com um azul tão verdadeiro.

Um barulho se aproximava
E aquele azul já nos deixava.

Um vento forte fazia
Um cinza escuro o céu trazia.

Aquela água deitada
De pé agora ficava.

Ondas fortes eu vejo
Mesmo não sendo o meu desejo.

Talvez seja apenas um grito
Com um forte atrito.

Mas era tão mágicos e tão tocantes
As águas dos ventos uivantes.



João M. A. da Silva
Data: 12/05/2014
Hora: 19h55
Momento: A pedido da gatinha
criticasconstrutivas.blogspot.com

Nenhum comentário: