22 de jun de 2010

Dunga vetou e teve seu dia de fúria

Nada melhor que um dia após o outro, reportagem de Mauricio Stycer (link aqui), averigou que a Globo negociava as escondidas e diretamente com Ricardo Teixeira (CBF), entrevistas exclusivas com três atletas da seleção após a vitória sobre a Costa do Marfim e estas entrevistas seriam exibidas no último Fantástico (20/06), mas Dunga vetou as exclusivas.

Alex Escobar da Rede Globo estava ao telefone com Tadeu Schmidt exatamente tratando deste assunto (exclusivas de jogadores), quando Dunga percebeu e começou o afrontamento (reveja aqui). Segundo apurado estas foram as palavras de Escobar sobre Dunga: “Insuportável, bicho, insuportável. O Rodrigo (Paiva) foi revoltado lá falar comigo, cara. O Dunga não deixou. Ninguém. Caraca, nem o Luís Fabiano. Infelizmente. Valeu, Tadeuzão”.

Bem, este lado da moeda não foi mostrado no Editorial da Globo, que desde o ocorrido, procura não mais mencinoar o nome Dunga em suas transmissões da Copa.

A Rede Globo com suas insistências esta desestabilizando o ambiente e em caso de derrota esta merece uma parcela de culpa.

Dia de Fúria

Vale como brincadeira o vídeo abaixo, sobre o dia de fúria de Dunga (referência ao filme estrelado por Michael Douglas 'Um dia de Fúria - 1993).




João M. A. da Silva
Data: 22/06/2010
Hora: 14h25
Momento: Continua a replicar
criticasconstrutivas.blogspot.com

Um comentário:

Samira disse...

Uma coisa não há como negar: se o Brasil for desclassificado, a imprensa (especialmente a Globo) terá imenso prazer em queimar o atual técnico da seleção.

Em análise de toda a situação que está girando em torno da cobertura da Copa, em especial a relação Dunga/Imprensa, vejo erros nos dois lados.

O regime extremamente fechado que Dunga impõe aos jogadores só faz mal a ele mesmo. No entanto, a imprensa não soube valorizar os momentos nos quais o técnico abriu espaço para que os jornalistas fizessem seu trabalho. A qualquer sinal de desentendimento ou contusões, os jornalistas logo abriam um xeque de possibilidades, sempre denegrindo a imagem dos jogadores ou técnico.

Enfim, nós, o público e torcedores, assistimos impassíveis a todo esse espetáculo. O que espero ao final é que o Brasil possa sair ganhando.

Abs.
Samira