3 de mar de 2010

Resenha: A metamorfose de Kafka

Título: A metamorfose seguido de O veredicto
Título original: Die Verwandlung e Das Urteil

Autor: Franz Kafka

Tradução: Marcelo Backes

Editora: L&PM Pocket

Edição: 1ª - vol. 242
Ano: 2008 (reimpressão)


-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

Franz Kafka (1883-1924) segundo Marcelo Backes "é um dos maiores escritores de todos os tempos". Esta obra é uma das mais estudas e comentadas do autor. Conheça mais sobre Kafka aqui e aqui também.

A obra permite várias analises do surreal ao autobiográfico, romantico ao cinico, um grito sobre a alienação do homem frente ao trabalho e a sociedade. Enfim, é uma mistura de sabores que intriga a narrativa.

Gregor Samsa é o nosso personagem central, um trabalhador já esgotado de suas viajens e frustrado em relação ao seu emprego. Porém, a necessidade financeira, faz com que este peso necessite ser carregado.

Os acontecimentos, "após uma certa manhã", se passa em sua própria residência que é a mesma de seus pais e irmã e acaba virando seu refugio de um mundo que se queira distância ou no qual se é distanciado. Cercado por sua família, que após a sua metamorfose o trata de modo bem diferente.

Percebo no desenrolar, momentos de depressão séria, de uma breve esperança em melhora que se acaba com o passar do tempo.

Podemos facilmente nos sentir como Gregor, rejeitado, diferente, contrário ao modo de vida tradicional, isolado, sozinho e incomunicavél.

O medo frente ao desconhecido e total falta de fé são sentimentos encontrados por sua família, que já o vê como um obstáculo para uma vida "normal" perante a sociedade.

Ao ler A Metamorfose de Kafka, percebi alguns traços de Gregor com Jean-Dominique Bauby em seu "escafandro" (resenha aqui).

E você, como se comporta frente ao desconhecido, ao contraditório?


João M. A. da Silva
Data: 08/03/2010
Hora: 22h28
Momento: Kafkandofranz metaveredictoforse (!?)
criticasconstrutivas.blogspot.com

2 comentários:

Tiago Vilarinho disse...

É realmente fascinante a obra. Mostra como todos nós podemos estar "mortos" por dentro, aceitando situações nada humanas que se passam no nosso quotidiano sem nos levantar-mos para as combater ou simplesmente perguntar "porquê?".
Também tenho um post relativo a esse livro no meu blog. Passe por lá quando tiver tempo.
Também gostei muito do seu blog. obrigado pelo apoio e seguirei o seu conselho: estarei mais activo, tanto quanto a vida universitária me deixar.

Anônimo disse...

obrigado pela ajuda realmente esse livro é bem filosófico e nos fas pensar sobre nossa vida e na sociedade e oque estamos fazendo dela...