20 de mar de 2008

Debate: Programa Opinião Nacional (TV Cultura) - Pesquisas com Células-Tronco Embrionárias

Programa Opinião Nacional - TV Cultura - 22h40 - 20/3/2008 (Quinta-Feira)

Tema: Células-Tronco

O assunto divide até a comunidade científica. De um lado, os que defendem as pesquisas com embriões, pela possibilidade de cura para doenças graves. Do outro, os que dizem que elas podem causar rejeição e o ideal seria usar apenas células-tronco adultas. Os religiosos se posicionam contra a pesquisa com embriões e agora cabe ao Supremo Tribunal Federal decidir se essas pesquisas vão continuar no Brasil.

Participa desse debate:

Carlos Alberto Moreira-Filho - geneticista, superintendente do IIEP - Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa - do Hospital Albert Einstein;
Dulce Xavier - socióloga, integrante da ONG Católicas pelo Direito de Decidir, secretária-executiva da Jornada pelo Direito ao Aborto Seguro;

Pe. Vando Valentini - coordenador do Núcleo Fé e Cultura da PUC/SP,
Dra. Alice Teixeira Ferreira - Professora de Biofísica da Unifesp.

Fonte: http://www.tvcultura.com.br/



Opinião (antes do debate)


Mais um debate sobre o polêmico assunto das pesquisas com células-tronco embrionárias, diferentemente do "pseudo-debate" do programa Observatório da Imprensa / TVE (leia-aqui), este promete ser um debate de nível e esperamos esclarecedor para todo o povo que espera o julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal). Dois especialistas para cada lado e dois articuladores.

O problema é encontrar uma TV que esteja sintonizada na TV Cultura.



Opinião (após o debate)


Depois da dificuldade inicial de convencer as pessoas da importância de assistir a TV Cultura e programas com qualidade como o Opinião Nacional.

Dica! - quem perdeu fique esperto no link: http://www.tvcultura.com.br/detalhe.aspx?id=433 pois eles costumam depois de 1 mês (!?) colocar o programa na Internet. Veja no youtube também, às vezes alguém coloca lá antes.

Antes uma observação... quase no mesmo horário a Rede TV colocou o mesmo tema como debate no programa Super Pop (!?) apresentado pela mãe do filho do cantor Mick Jagger (!?) e esposa do Dono da Rede TV (!?). Não é este programa que estou falando!

Voltando ao debate do Programa Opinião Nacional, foi bem equilibrado 2x2. E teve espaço para os argumentos de todos.



Opinião (dos próprios participantes)

Enviei um e-mail, meio genérico para cada participante sobre o que acharam do programa, veja as respostas:

Carlos Alberto Moreira: (Não respondeu ainda ao e-mail)


Dulce Xavier:

Críticas Construtivas (CC): Qual sua opinião sobre o debate de forma geral?
Dulce Xavier: Foi muito bom, pois apesar das diferenças profundas de entendimento sobre o uso de células tronco embrionárias, foi possível expressar opiniões e informações que contribuem para subsidiar o debate sobre as questões tratadas. É que foi uma ótima oportunidade de esclarecer as implicações das questões ligadas a pesquisas com celulas tronco embrionárias, as possibilidades que se abrem e a importância.

O mediador foi imparcial ou parcial?
Foi imparcial. Se portou de forma a garantir as falas; suas intervenções foram para elucidar as idéias.

Faltou algum tema a ser debatido?
Explorar mais as implicações da condição laica do nosso Estado e o lugar das religiões na sociedade.

Sua opinião sobre os argumentos dos debatedores?
Os argumentos do Padre Wando e da pesquisadora Alice Teixeira repetiram informações e conceitos já repetidos em diversas ocasiões, que apesar de tantas citações de biologicistas, não conseguiram escapar da missão de manifestarem-se contrários às pesquisas por estarem ancoradas e limitadas à defesa da vida desde a concepção. Já o geneticista foi muito claro explicando, de forma simples para as pessoas leigas, como são as pesquisas e os avanços que podem decorrer das mesmas, inclusive da possibilidade do aprendizado com as pesquisas com células embrionárias.


Pe. Vando Valentini:

Criticas Construtivas (CC): Caro Pe. Vando Valentini, o debate de forma geral foi positiva?
Pe. Vando Valentini: Prezado João [Críticas Construtivas], Eu acho que foi bastante positivo para a posição dos que defendem que a Lei de Biosegurança seja barrada.

O mediador, Alexandre Machado, foi imparcial ou parcial?
O mediador me pareceu imparcial, mesmo que a reportagem de introdução fosse totalmente a favor da Lei de Biosegurança.

Faltou algum tema a ser aprofundado?
Faltou aprofundar mais a questão dos limites éticos ao desenvolvimento Científico, como também todo tema de Bento XVI sobre a relação Religião e Razão.

Gostaria de explicar alguma outra coisa?
A problemática é enfrentada pensando em um acordo circunstancial (político) ligado ao problema dos embriões que sobram da fecundação artificial e não se enfrentam as questões de fundo. Mesmo para um acordo político, não se fazem concessões sobre a limitação ou até o fim da produção de embriões e isso é inaceitável.


Dra. Alice Teixeira Ferreira:

Criticas Construtivas (CC): Cara Dra. Alice Ferreira, qual foi a sua visão do debate. Faltou algum tema a ser aprofundado. O apresentador foi imparcial?
Dra. Alice: Caro João, vendo o programa na quinta feira passada, pois ele foi gravado na quarta, achei que a minha participação e do Pe. Vando foi positiva. Todas as afirmações deles foram contestadas. O apresentador foi imparcial. [Mas] faltou colocar alguns pontos que são inaceitáveis pelos que querem fazer pesquisas com seres humanos vulneráveis:
1) Thomson, que fez a primeira cultura de células embrionárias já abandonou tal linha de pesquisa. Aí fica no sim / não.
2) As células embrionárias humanas ou murinas apresentam caracteríticas de células cancerígenas nos meios convencionais de cultura. Quando injetadas em roedores imunossupridos dão teratomas, tumores de características embrionárias.
3) A possibilidade de se transformarem em todos os tecidos do organismo não foi demonstrada até hoje. Trata-se de uma hipótese induzida do fato de um embrião ter seu desenvolvimento, quando no útero, em um organismo completo. A questão é que não estamos no Admirável Mundo Novo (leia resenha do CC aqui), onde realmente se obtém uma pessoa completa fora do útero, o real bebê de proveta de Aldous Huxley. Trata-se, portanto, de uma generalização indevida. A conseqüência disto é a hibridização: apesar de ir contra a decisão de uma reunião "ética" de fevereiro do ano passado estão injetando as CEs humanas em embriões de animais e depois no útero de uma fêmea. Chegaríamos ao Stuart Little?
4) Exaustivamente tentamos convencer que a concepção é o inicio da vida humana (é um fato científico descrito pela primeira vez em 1827, devido ao aumento da sensibilidade do microscópio) e não é um dogma e a Igreja vem sendo atacada por defender a dignidade do embrião humano. Aristóteles e, Santo Agostinho, Tomas de Aquino não tinham microscópio. Aristóteles inferiu da observação de abortos humanos espontâneos os tais 40 dias.
5) Exaustivamente afirmamos que existem "fontes" éticas de obtenção de CEs humanas como o líquido amniótico, as CTAs obtidas do cordão umbilical que podem se desdifenciar em CEs, as células progenitoras de espermatozóide e óvulos que podem ser transformadas em CEs. AÍ VEM A UTILIZAÇÃO DOS EMBRIÕES CONGELADOS INVIAVEIS O VIAVEIS COM MAIS DE 3 ANOS e que a gente mostra centenas de crianças geradas de embriões congelados por mais de 13 anos.

Na verdade já está cansando a má fé desta gente. Pelo menos já deixaram de dizer que vão salvar vidas, que querem a liberdade de pesquisar tais células. Surgiu um novo Deus: "A Ciência". Não aceitam que se trata de uma construção humana e como qualquer produto da nossa sociedade é limitada e falível. Você tem toda a liberdade de colocar tudo isto no seu blog. - Dra. Alice

No debate o geneticista Carlos Alberto Moreira-Filho e a socióloga Dulce Xavier, tentavam mostrar que a questão estava relacionada com o "obscurantismo da Igreja Católica" e não tanto para o científico. Repetiu-se várias vezes, sobre o que esta acontecendo no Brasil é o que aconteceu antes no passado sobre a moral católica e alguns pontos da genética. Também o assunto Idade Média e o laicismo. Qual a opinião da senhora a respeito?
O Pe. Vando mostrou bem a diferença entre Estado Laico ao qual somos favoráveis e laicismo, que é ditatorial e não respeita a religiosidade do ser humano. O pior de tudo isto é como dizia Dostoeviski no "Irmãos Karamazov": "Se Deus não existe então TUDO é permitido". Como conseqüência tem-se que os fins justificam os meios, principalmente dos mais fortes. Viveríamos num total barbarismo, do qual a Idade Média levou séculos, através da Igreja, para livrar a Humanidade dele. É interessante que não é mais lembrado que a Universidade surgiu na Idade Média por obra da Igreja.

O geneticista Carlos Alberto, ao falar sobre o começo da vida, utilizou o argumento jurídico [empregado no Brasil] e não o científico, explicando que só tem vida quando tem o sistema nervoso, esquecendo-se de que o caminho natural de um embrião é de se tornar um ser humano completo, faltando há ele tempo e nutrição. Isto esta correto?
É verdade. O interessante que não se apercebem disto, no que eu tento tornar bem claro que tal comparação com a morte cerebral é absurda.

Um outro assunto pouco comentado (ou então eu perdi), era sobre os agentes financiadores das pesquisas com embrião. Como à senhora esta vendo este assunto [que esta nos bastidores]?
A questão do poder econômico é que está muito bem escondido. O que se sabe é que as clínicas de fertilização in vitro querem lucros. De maneira alguma aceitam doar os embriões extranumerários. Nos EUA existe em Santo Antonio foi montado um banco de embriões humanos que estão sendo vendidos por 5.000 a 10.000 dólares, que nem fazem aqui no Brasil com embriões de vacas, porcos, etc. A Geron Corporation que adquiriu as patentes de James Thomson, vendeu muitas ações à comunidade judia de Nova York e se vê obrigada a apresentar resultados, que aliás vem prometendo há dois anos. Mas quantos dólares a Dulce Xavier, Mayana Zatz, etc... estão ganhando não sabemos. Há indícios de que a fundações Rockfeller, Ford, McArthur estão investindo pesado mas não dispomos de documentações que provem isto.

A senhora tem dados estatísticos de liberação das pesquisas, nos outros 200 países do mundo. A senhora também confirmou que na Alemanha é liberado as pesquisas com embriões, desde que os embriões não seja alemão.
Existe alguns paises em que estas pesquisas com embriões humanos estão ocorrendo: nos EUA o financiamento é privado: alem da Geron Corporation existe a Advanced Cell Technology, a Stemagen. Na Califórnia com a quebra do paradigma por Shinya Yamanaka, eles dizem que mudaram a linha para pesquisa com CTAs e que ainda bem que gastaram somente 30 milhões com pesquisa com CEs humanas dos 3 bilhões programados para 10 anos. A Alemanha não permite a pesquisa com embriões alemães e é muito fácil se desenvolver uma exportação de embriões no Brasil, pois a mulher não fica sabendo quantos óvulos foram obtidos de seu ovário nem quantos embriões viáveis foram produzidos. A menos que os embriões brasileiros sejam cadastrados temos um descontrole total. Sem contar que é ilegal o seu congelamento.




Opinião (final)

Gostaria de agradecer a Dra. Alice Ferreira, Pe. Vando Valentini e a Dulce Xavier pela atenção ao Blog Críticas Construtivas (CC). Ainda estou aguardando as posições de Carlos Alberto Moreira-Filho.

Devemos aprender a respeitar as opiniões e procurar entender os dois lados. Mas respeitar não é concordar. Também devemos participar da história do nosso pais, formando a consciência crítica e emitindo nossas opiniões, aqueles que foram eleitos para tomarem as decisões por nós.


E você, qual sua opinião?



João M. A. da Silva
criticasconstrutivas.blogspot.com
Data: 20/03/2008
Hora: 08h26
Momento: Leitura matinal dos noticiários

7 comentários:

Evelyn Mayer de Almeida disse...

Oi, João!

Infelizmente não pude participar daquele site que vc me indicou... olhei "mto tarde".

Mas obrigada mesmo assim!
Uma Santa Oitava Pascal pra vc!

Evelyn Mayer de Almeida disse...

João!

Vc assistiu ao debate?
Pode nos colocar algumas posições?

Obrigada =)

Evelyn Mayer de Almeida disse...

Oi, João.

Eu não conheço o Padre, mas conheço a Dra Alice e o trabalho dela em defesa à vida é fantástico.
Gostei das respostas dos dois e percebi que o embate é grande. Mas estamos bem servidos de defensores, pessoas bem esclarecidas e cheias de responsabilidade.

Esperemos agora as respostas da dupla "adversária".

Ecclesiae Dei disse...

Olá, João!!!
Muito obrigado pela dica, mas assim como a Evelyn, acabei vendo seu recado muito tarde. Obrigado por expor para nós como foi, e obrigado também pelas respostas dos participantes ao seu questionamento. Realmente é muito enriquecedor poder ler a respeito da opinião de pessoas realmente engajadas à causa, e que trabalham com afinco e com informações que normalmente desconhecemo. Esperemos o restante das respostas, se é que elas chegarão.
Grande abraço e parabéns pelo trabalho!!

Samira disse...

Olá João!
Pois é, alguma coisa me dizia que 'neste angu há caroço' e esse negócio de dizer que irá ser usado "para o bem da ciência e da humanidade"... tsc, tsc.... gostei do que a Dra. Alice disse. Creio que, infelizmente, também seja por ai.. eles querem ter mais uma fonte de dinheiro.. é algo semelhante, mas com suas peculiaridades, com os casos das vendas de mulheres para prostituição no exterior, trabalho escravo, etc.. a diferença é que se trata de um ser que não pode se defender.. não pode gritar, espernear.. ainda não fala, mal bate o coração.
Olha, também concordo com teu argumento. Devemos aceitar os dois lados e eu não admito que a mídia, e que os jornalistas que deveriam esclarecer à população, hajam conforme interesses de terceiros, que, creio, também contribuem pagando matéria.
Faço jornalismo. Mas a cada dia que passa sinto repulsa disso. Infelizmente, de 100% dos chamados profissionais, creio que menos de 5% fazem jus a ética aprendida em sala de aula. É muito triste.
Quanto a expansão da Record e a briga com a Globo, infelizmente, as duas cada vez mais ganham espaço, sem usar a concessão de forma correta. É pública, mas usam ao seu bel prazer. Fico horrorizada de ver, por exemplo, a Record encampar campanha pró-aborto, dizendo que isso é um direito da mulher. Tá. E da criança? Ai vem aquela velha discussão: e se for estupro, e bláblá... olha, há que se ter bom senso dos dois lados mas ficar tratando da situação como se fosse simples a mulher ir lá e pimba, abortar... eles me enojam. A Globo, idem. E qualquer canal que não faça o seu papel de informar para com o povo.A Cultura é um exemplo em canal aberto a ser seguido. Promove conhecimento, entretenimento, informação, educação de forma dosada. Os desenhos para as crianças são excelentes e não aquela brigalheira promovida pelos outros canais.
O teu blog, como sempre, motivando a reflexão. Isso é muito importante para todos!
Abraços!
Samira

Evelyn Mayer de Almeida disse...

Oi, João.

Fala sério esta Dulce Xavier...
Com aquele papinho de "religião no seu devido lugar na sociedade" já deixou claro que não quer que a Igreja Católica se posicione.
Porém, foi bom ela ter te respondido. Assim sabemos com quem lidar.

Continue tentando com o último que falta.

Evelyn Mayer de Almeida disse...

E Então, João.
Nada ainda do último e-mail?