28 de fev de 2008

Resenha do livro: "A Terra não sofre" - Michelle Blake

Livro: A Terra não sofre
Autora: Michelle Blake
Editora: A Girafa Editora
Ano: 2006
Edição: 1


Sinopse:

Em busca do paradeiro de Anna, uma professora e escritora católica de grande prestígio em seu meio, desparecida em circunstâncias misteriosas, a jovem pastora anglicana Lily Connor se vê enredada no verdadeiro passado de sua amiga e conselheira, investigando uma incrível história pregressa que envolve grupos radicais e anti-semitas, norteada pelas não menos íncríveis pistas lançadas por uma estranha vidente. A constatação de que os erros do passado determinam a história presente obrigará Lily a rever sua própria identidade e reelaborar a sua profissão de fé.

Sobre a autora:

Michelle Blake, nasceu em 1951, no Texas, Estados Unidos. É poeta, e este é seu segundo livro como prosadora. Leciona na Universidade Tufts e recebeu o título de Master's of Theological Studies da Universidade de Havard. Aclamada pela crítica norte-americana como revelação na literatura policial e de mistério, escreveu três livros protagonizados pela pastora anglicana Lily Connor.

(Textos extraídos da contra capa do livro, A Girafa Editora).


Opinião...


Com um estilo de escrita muito contagiante, Michelle Blake, nos apresenta Lily, uma protagonista cercada de dúvidas pessoais e espirituais. E estes sentimentos ficam mais fortes com o desaparecimento de Anna, sua amiga e referência de pessoa íntegra e dedicada.

Com ajuda de amigos próximos e principalmente seu instinto desafiador de buscar a verdade, Lily mergulha com toda força a procura de Anna.

Nesta busca temos pontos de grande tensão e mistério, que Lilly motivada cada vez mais pela própria história de Anna, acaba se envolvendo a fundo, até as últimas conseqüências.

Acredito que este livro, nos orienta para a reflexão da amizade, um olhar por dentro de nossa própria fé, as vezes oculta pela correria de nossas vidas, a relação da família e o preço dos nossos erros no passado, são temas persistentes neste enredo.

Perceba que acreditamos naquilo que vivemos hoje mas sonhamos aquilo que não vivemos, e a resultante de tudo é o passado que junta aquilo que vivemos com aquilo que sonhamos.


João M. A. da Silva
criticasconstrutivas.blogspot.com
Data: 28/02/2008