9 de ago de 2007

Pearl Jam é censurado por criticar George Bush


Foto por Kerensa Wight - pearljam.com

Fonte: G1 - Disponível em http://g1.globo.com/Noticias/Musica/0,,MUL85269-7085-7514,00.html - Acessado em: 09/08/2007

Show da banda foi transmitido pela internet e não conteve versos de uma música. Companhia responsável afirma que houve equívoco em decisão.

A performance do Pearl Jam no festival Lollapalooza, no último domingo (5/8/2007) em Chicago, não apresentou para os internautas que assistiam ao show pela internet versos críticos ao presidente George W. Bush que a banda introduziu na faixa "Daughter".

O grupo de Seattle afirmou em seu site oficial (www.pearljam.com) que houve censura por parte da At&T, empresa responsável pela transmissão. Um porta-voz da companhia disse que houve um equívoco por parte de uma firma contratada para o serviço, sustentando que "não há uma política de censura" na AT&T.

A versão da faixa "Daughter" (ao som de "Another brick in the wall", do Pink Floyd, como música incidental) trazia os trechos "George Bush, leave this world alone" (George Bush, deixe este mundo em paz) e "George Bush, find yourself another home (George Bush, encontre para você outro lar).

Segundo o site do Pearl Jam, "quando nós perguntamos sobre a parte do show que faltava, a AT&T informou à organização do Lollapalooza que um monitor de conteúdo havia cortado o trecho por engano".

A companhia disse que havia uma diferença de alguns segundos entre o show e a transmissão na internet para que houvesse a possibilidade de editar possíveis palavrões.

Para o Pearl Jam, o incidente "nos incomoda como artistas, mas também como cidadãos preocupados com a questão da censura e do crescente controle da mídia".

"Houve apenas um controle excessivo. Não é nossa prática editar comentários com tons políticos", disse uma porta-voz da AT&T.


--------------------


Comunicado OFICIAL do site do Pearl Jam


Lollapalooza Webcast: Censurados pela AT&T?

"Após concluírmos nosso show de domingo à noite no Lollapalooza, fãs nos informaram que partes daquela performance estavam faltando e poderiam ter sido censuradas pela AT&T durante o Webcast Ao Vivo do Lollapalooza, “Blue Room”.

Quando questionados sobre a parte faltante, AT&T informou ao Lollapalooza que porções do show estavam de fato faltando no webcast, e que o monitor de conteúdo cometeu um erro ao cortá-las.

Durante a performance de “Daughter” os sguintes versos foram cantados ao som de “Another Brick In The Wall”, do Pink Floyd, mas foram cortados da transmissão:

- “George Bush, leave this world alone.” [George Bush, deixe este mundo em paz] (na segunda vez que foi cantado); e
- “George Bush find yourself another home.” [George Bush encontre outro lar pra você]

Isso, é claro, nos incomoda como artistas mas também como cidadãos preocupados com o uso da censura e com o aumento considerável da mídia.

O ato da AT&T ataca o coração das preocupações populares sobre o poder que as corporações têm quando determinam o que o público vê e ouve pelos meios de comunicação.

Aspectos de censura, consolidação, e tratamento preferencial da internet agora estão sendo debatidos sob a cobertura do “NetNeutrality” [Neutralidade da Rede]. Confira o The Future Of Music [O Futuro da Música - http://www.futureofmusic.org/rockthenet/index.cfm – em inglês] ou Save The Internet [Salve A Internet - http://www.savetheinternet.com/ - em inglês] para maiores informações sobre esse assunto.

A maioria das companhias de comunicação se opõe ao “net neutrality” e argumentam que o público pode confiá-los a não censurar.

Até mesmo o ex-chefe da AT&T - CEO [Chief Executive Officer; Executivo Chefe, o “Presidente” da empresa] Edward Whitacre, cuja companhia patrocinou nosso webcast censurado, afirmou em Março último que teme que sua empresa e outras grandes provedoras de rede poderiam bloquear o tráfego nas suas redes.

“Qualque provedor que bloqueia acesso a conteúdo está convidando seus clientes a encontrarem outro provedor.” (Marguerite Reardon, da equipe de escritores, CNET News.com. Publicado em 21 de março de 2006, 14h23 PST).

Mas e só tivermos um provedor pra escolher?

Se uma companhia que está controlando uma transmissão está cortanto partes da nossa apresentação – sem se basear em leis, mas nas suas próprias preferencias e interpretações – os fãs não têm outra escolha a não ser assistir à versão censurada.

O que nos aconteceu no ultimo fim de semana foi um alarme, e sobre algo muito maior do que a censura a uma banda de rock.

A versão completa de “Daughter” da apresentação no Lollapalooza vai ser disponibilizada aqui [no Ten Club – www.tenclub.net] em breve para qualquer um de vocês que a tenha perdido. Pedimos desculpas aos nossos fãs que estavam assistindo ao webcast e foram surpreendidos. No futuro iremos trabalhar ainda mais duro para assegurar que nossas transmissões ao vivo estejam livres de edições arbitrárias.

Se vocês têm exemplos da AT&T censurando performances de artistas sobre conteúdos políticos, é uma boia coisa para todos saberem. Sintam-se livres para postar exemplos no Message Pit oficial do Pearl Jam (http://forums.pearljam.com/)."

Fonte: pearljam.com/news/index.php?what=News#195



Opinião

Interessante o site http://www.savetheinternet.com/ , onde é abordado algumas ações para evitar que a Internet e toda sua informação não sofra desvios ou que seja direcionado para favorecimento de um lado (leia-se "grandes corporações").

É grave... manifestações críticas devem ser feitas, ainda mais vindos de uma música, com seu lado artístico. No caso, não existem leis para se cortar uma transmissão, ou melhor, segundos de uma canção, por criticar um presidente (nos EUA).

A Cultura dos Olhos Fechados, deve acabar!

O problema, são as grandes organizações, que quando controlam algo, se tornam bastante fortes e que por contrapartida, sofrem grandes influências, principalmente na política.

No Brasil, acontece muito casos de influência de informação, com as televisões e jornais (tucanos, por exemplo), e a censura na Internet estreou por aqui com o Caso Cicarelli, que chegou a bloqueou o site youtube.com inteiro por causa de uma ordem judicial.

Não existe nada mais precioso do que a informação, devemos protegê-la das interferências.



João M. A. da Silva
09/08/2007 - 15:53
criticasconstrutivas.blogspot.com


Música Inteira - Daughter (Pearl Jam)




Trecho da Música COM e SEM edição - Daugther (Pearl Jam)





Nenhum comentário: