15 de mai de 2007

Software livre viola 235 patentes, acusa Microsoft

Resumo:

Advogados da MS apontaram 235 patentes que, acreditam, foram violadas pela comunidade de software livre.

Em entrevista a revista Fortune, o diretor de patentes Microsoft, Horacio Gutierrez, afirmou que a comunidade do software livre violou 235 patentes registradas pela MS.

Gutierrez afirma que o kernel do Linux viola 42 patentes e a interface gráfica de distribuições Linux violam outras 65 patentes. Na opinião de Smith, outras 45 patentes são violadas pela comunidade OpenOffice.org.

Além disso outro executivo da Microsoft, Brad Smith, diretor jurídico, afirmou que existem 15 patentes relativas a programas de e-mails e 68 relacionadas a programas diversos, que o advogado não especificou.

Fonte: http://portalexame.abril.com.br/tecnologia/m0128923.html

Opinião:

A origem desta história está no acordo que a Microsoft fez com à Novell, detentora do sistema operacional UNIX, no qual pretendem criar uma solução de integração entre software proprietário e software livre.

Como o Linux, queira ou não, utilizou alguns códigos do Unix, aí estão as queixas.

A comunidade de software livre procura então desenvolver mecanismos que crie dificuldades para a empresas como a Microsoft e a Novell de tentarem se utilizar da comunidade de software livre, para enriquecimento e até mesmo para frear o avanço do software livre. Tais mecanismos inclui como exemplo a GPL3 - que é a licença geral de software livre, em sua 3 versão. Elaborada pela comunidade GNU (gnu.org).

O medo da Microsoft está em relação a softwares como Firefox (navegador web), OpenOffice (escritório) e o próprio GNU/Linux que estão cada vez mais ganhando terreno nas casas, escolas, empresas, servidores e governos.

Dentro de uma filosofia global, acredito que a manutenção e a sustentabilidade do software livre e de sua comunidade, deve ser forte, pois é um grande caminho para países mais pobres se desenvolveram no sentido tecnológico e de inclusão digital e social.

Nenhum comentário: