27 de fev de 2007

Programação TV - Novela Rede Globo - resenha

O Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo enviou à Globo recomendação para que a emissora não encerre a novela "Páginas da Vida" (entenda o caso), que termina na próxima sexta-feira, sem antes exibir cenas que mostrem que escolas não podem recusar a matrícula de crianças com deficiências e ficarem impunes. O que você acha sobre o pedido?

Um assunto polêmico!
Muitos já estão pensando censura!!! censura!!!

Na verdade a televisão hoje virou um grande lixo cultural, educacional e até alguns casos do próprio entretenimento. Infelizmente são poucas as emissoras, cito a TV Cultura e TVE que fornecem uma programação limpa, enriquecedora e recheadas de informações boas e interessantes.

As novelas se tornaram grandes arrecadadoras de dinheiro, antiga e atual formula da Rede Globo (hoje potência televisiva), e atual da Rede Record, que investe pesado na programação noveleira, seguindo o caminho da gigante da TV.

Aqui um parêntese, nada contra, penso apenas no equilíbrio e na razão das televisões existirem, lembrando aqui que a TV são concessões públicas e estão sujeitas a regras definidas pelo estado brasileiro. Sendo concessão pública, a primeira coisa a ser feita é pensar no público. Elas fazem isso?

No caso da novela, o assunto sobre o aceite das escolas públicas na matrícula de crianças com deficiências físicas, tem uma certa coerência, as novelas apesar de ficção, não devem premiar o banditismo e a irregularidade.

Tenho uma teoria de que o caos no Rio de Janeiro e seu estado de violência tem 30% de culpa das Organizações Globo, por mostrarem de muito tempo, para o mundo e para nós o famoso "Rio Maravilha", Cristo Redentor, Copacabana, Praia e Hotéis... um ciclo que segue há anos. Nunca houve uma novela que se passou em uma favela, só para citar algo... Isto eu chamo de Síndrome dos Olhos Fechados.

Tem uma frase que diz o seguinte:

"Não devemos dar as pessoas o que elas pedem e sim o que elas precisam"

João Messias Alves da Silva


Fonte:
Folha Online - http://polls.folha.com.br/poll/0705402/results

Projeto Brazil IT vai dobrar investimentos no Brasil - resenha

Finalmente, parece que o Brasil começa acordar para a importância do investimento em IT ou TI (Tecnologia da Informação). Algo que foi praticamente jogado as traças durante a gestão do sociólogo Fernando Henrique Cardoso, PSDB.

Na notícia de Luiza Dalmazo, apresenta a intenção do governo em investir 6 milhões de reais entre 2007 e 2008 na indústria de TI. Além de investimentos com parcerias privadas.

Claro que isso é considerado muito pouco, quase que irrisório, mas houve uma aumento de 100% em relação a 2004 - 2006.

Já foram garantidas parceiras com as entidades como a APEX, Sebrae, Softex Softsul e outras. Além de participação em eventos no mundo inteiro.

Para uma país do chamado terceiro mundo, nada mais importante do que buscar investimentos na base, como nos processos tecnológicos, algo que faz muito tempo países como à Índia, Israel, China e etc.

Devemos torcer para quem sabe nos próximos governos já exista uma pasta, algo do tipo Ministério da Tecnologia da Informação, no mesmo nível do MEC. E que as nossas faculdades e escolas levem a sério a tecnologia e a relação dela com a humanidade.

João Messias Alves da Silva

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/mercado/2007/02/27/idgnoticia.2007-02-26.9809907388/IDGNoticia_view
- Luiza Dalmazo, do COMPUTERWORLD - 27 de fevereiro de 2007 - 07h50

23 de fev de 2007

A Internet é um reflexo da sociedade, afirma Vinton Cerf

Por John Ribeiro para o IDG Now!* (fonte: www.idgnow.com.br)
Publicada em 21 de fevereiro de 2007 às 12h45
Atualizada em 21 de fevereiro de 2007 às 12h50

Bangalore - Pai da Internet afirma que crimes em comunidades como o Orkut e fraudes são problemas mais sociais do que econômicos.

A internet é um espelho da população que a utiliza, declarou Vinton Cerf, vice-presidente e evangelista-chefe de internet do Google, em uma palestra na terça-feira (20/02) sobre a proliferação de fraudes, abusos sociais e outros crimes online.

"Se você ficar em frente ao espelho e não gostar do que está vendo, isso não ajuda a consertá-lo", afirmou Cerf, considerado um dos pais da internet pela criação do protocolo TCP/IP.

Empresas de internet como o Google, especialmente por conta da rede social Orkut, têm buscando deter os abusos praticados por meio de seus serviços, mas, segundo Cerf, o problema é muito mais social do que econômico.

Além do Brasil, o Orkut foi alvo de críticas e processos judiciais na Índia, depois que alguns usuários usaram comunidades para fazer campanhas contra o país fazendo referências a figuras históricas indianas.

Da mesma forma, o spam é um efeito de serviços gratuitos de e-mail, disse Cerf, que também é presidente do conselho do ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers), órgão responsável pela coordenação global de sistemas de endereçamento da internet, nomes de domínios entre outras tarefas.

O tráfego de pacotes de dados pelo protocolo de internet (IP) tem a vantagem de isolar a aplicação do meio de comunicação, seja ele com ou sem fio, explica Cerf. No entanto, o pacote não sabe ou não se importa com o conteúdo que está carregando.

Um dos resultados desta arquitetura é que a próxima onda de crescimento da internet deve vir de aplicações móveis. Segundo Cerf, o celular tornou-se um importante personagem na revolução da internet, lembrando que, atualmente, há 2,5 bilhões de terminais em uso no mundo - números que devem crescer rapidamente em países desenvolvidos como a Índia e a China.

*John Ribeiro é editor do IDG News Service, em Bangalore

13 de fev de 2007

A Fábula da Preguiça

Esta é uma história sobre quatro pessoas...
Todo Mundo, Alguém, Qualquer Um e Ninguém.
Havia um grande trabalho a ser feito e Todo Mundo tinha certeza de que Alguém o faria.
Qualquer Um poderia tê-lo feito, mas Ninguém o fez. Alguém se zangou porque era um trabalho de Todo Mundo.
Todo Mundo pensou que Qualquer Um poderia fazê-lo, mas Ninguém imaginou que Todo Mundo deixasse de fazê-lo.
Ao final, Todo Mundo culpou Alguém quando Ninguém fez o que Qualquer Um poderia ter feito...